Faculdade de fotografia vale ou não vale a pena?

Assista o vídeo no Youtube =)

Muita gente tem perguntado se é necessário fazer faculdade de fotografia para virar fotógrafo profissional, então, pra ajudar a desmistificar isso, vou trazer meu ponto de vista sobre o assunto.

Talvez você não saiba, mas além de ser um profissional de fotografia que sempre viveu dos cliques, eu mesmo também já fui professor de fotografia em uma faculdade da minha cidade, onde tive contato direto com turmas da graduação por mais de dois anos e pude aprender muita coisa nessa vivência de sala de aula.

Além disso, já fui chamado outras vezes por universidades aqui do Rio Grande do Sul para dar aulas como professor convidado e participar do processo de capacitação dos alunos. Uma experiência maravilhosa.

Sempre gostei de dar aulas, por isso ainda viajo o Brasil dando workshops para fotógrafos profissionais com meu irmão Eduardo. Mas, para enriquecer ainda mais essa discussão, também compartilho a visão de aluno, pois sou graduado em Publicidade e Propaganda, onde cursei disciplinas de Fotografia.

Essa experiência rica, unindo as três faces pessoais (aluno, professor e fotógrafo profissional), junto com meus trabalhos na área acadêmica e no mercado comercial, me trouxeram uma visão bem crítica e embasada desse tema que iremos abordar aqui: afinal, eu preciso fazer faculdade de fotografia para ser um bom profissional da área?

Fotógrafo profissional X faculdade

Pois bem, sendo bem direto, a resposta é NÃO! Para você ser um bom fotógrafo profissional você não precisa obrigatoriamente fazer faculdade de fotografia.

A maioria dos profissionais de sucesso e das referências do mercado não fizeram. Você pode aprender as técnicas fotográficas de outras formas, ter atitude de empreendedor, ir à luta e desenvolver com sucesso a profissão de fotógrafo.

Um jeito bacana que muita gente escolhe para substituir a faculdade é fazer curso técnico de fotografia. Cursos técnicos, dentro do sistema de ensino brasileiro, geralmente são cursos mais rápidos, que têm foco na parte prática, feitos para quem quer botar a mão na massa, sair clicando e já aplicando no mercado aquilo que aprende.

Além dos cursos técnicos, existem também os cursos livres, que são treinamentos (geralmente workshops) que você faz com fotógrafos do mercado. Esse tipo de curso é voltado para o contato direto com as práticas e metodologias que o professor utiliza dentro dos negócios dele no dia a dia.

Por isso, os cursos livres são maravilhosos para aplicação imediata, pois você se encontra com profissionais de sucesso que transmitem seus conhecimentos e métodos reais para você replicar.

Se não quiser fazer cursos formais, você também pode ser autodidata, buscando informações em conteúdos na Internet, ou em revistas, livros, palestras e praticando.

E, ao contrário do que muitos pensam, isso pode ser muito bom. Assim, você tem a possibilidade de aprender com ajuda de meios gratuitos e da tentativa e erro. Mas cuidado, pois isso pode ser um pouco demorado e confuso, então você precisa ter muita disciplina e paciência se escolher esse caminho.

Sobre a faculdade de fotografia

Ok, mas e a faculdade de fotografia? Então, ela não é boa por não ter parte prática? Não, não é isso que eu estou querendo passar. A faculdade tem sim parte prática. Inclusive um dos pilares do ensino de graduação é ter uma parte técnica/prática muito marcante.

E isso é incrível, pois os alunos têm a possibilidade de botar a mão na massa dentro de um ambiente acadêmico controlado.

Muitas faculdades inclusive oferecem aos alunos as câmeras para fazer fotos/vídeos, além de estúdios completos para o estudo da fotografia de produtos, de moda, iluminação, etc. Várias graduações oferecem também laboratórios de informática para o aprendizado de pós–produção, Lightroom, Photoshop, diagramação.

Enfim, as faculdades têm essa cultura de manter laboratórios e ter disciplinas que também trazem a prática para o dia a dia do aluno. Mas, como eu disse, isso se dá em um ambiente controlado, onde geralmente a prática é muito mais experimental. E isso ocorre pois a faculdade tem um compromisso com a pesquisa.

A graduação serve para capacitar os alunos para executarem uma profissão (nesse caso, fotógrafo), mas seu propósito vai bem além disso, pois existe um compromisso também na formação de pesquisadores e professores.

Por conta desse compromisso é que as faculdades têm a parte teórica muito valorizada. Isso é parte fundamental do processo de graduação.

Então, dentro de uma faculdade você pode ter certeza que haverá uma boa carga de teoria e os alunos irão aprender coisas como: semiótica, psicodinâmica das cores, filosofia da imagem, linguagem estética, enfim, conteúdos bastante teóricos e até filosóficos. No entanto, muitos alunos poderão questionar se esses assuntos são realmente válidos para poderem praticar a profissão de fotógrafos.

Bom, se esse é o seu caso, saiba que esse conteúdo é importante, mas o foco dele não é diretamente a “prática da profissão”.

A maioria serve para que os alunos possam assimilar teorias e criar um senso crítico, que irá ajudar a embasar ideias. Elas podem vir a servir algum dia dentro de pesquisas, projetos ou até para formar ideias que aproveitáveis no mercado de trabalho, mas isso não é obrigatório.

Teoria e prática

Então quer dizer que a teoria e a prática estão totalmente desconectadas? Não! Elas podem andar juntas, mas a teoria que você aprende na faculdade muitas vezes não tem compromisso com a aplicabilidade prática, pois esse não é o seu papel obrigatório. Sacou?

Por isso, nas faculdades, às vezes parecem haver disciplinas que não fazem sentido nenhum para a prática no mercado profissional, mas que são importantes na geração do embasamento de um pesquisador, por exemplo.

E esse pode ser considerado um papel fundamental da faculdade. Ao lhe colocar em aulas que talvez você não iria estudar por vontade própria, ela está expondo você a conceitos novos, tentando gerar um senso crítico através do choque de ideias, para que você possa escolher “melhor” qual será o caminho a seguir. Esse é um dos lados mais positivos da faculdade, na minha opinião.

Porém essa teoria toda muitas vezes pode parecer maçante e defasada. Em quase todos os casos, isso se dá por causa dos currículos engessados, controlados pelo Ministério da Educação (saiba mais no vídeo abaixo).

É o MEC que entrega os currículos obrigatórios para as faculdades, regulando o que deve se ensinar nos cursos. Por causa disso, em grande parte dos casos, os conteúdos oferecidos nas faculdades são velhos e atrasados, pois o MEC é extremamente lento e burocrático, mas nosso mercado é dinâmico e está em constante mudança.

Essa diferença de agilidade causa uma discrepância, que torna impossível a atualização dos currículos de acordo com a evolução dos mercados. Os professores bem que tentam, mas muitas vezes não conseguem ofertar o necessário.

Por isso é tão comum ver alunos saindo da graduação, após 5 anos de estudos, com conteúdos aprendidos totalmente defasados, que não acompanham e não servem para a realidade atual do mercado de trabalho.

Esse é um sistema que tem causado grande preocupação para os profissionais de educação e que está afastando muita gente da graduação. Isso porque não se trata de algo sustentável para o mundo de hoje.

É preocupante, mas note que não quero dizer que a faculdade de fotografia não é boa e que não deve ser frequentada por ninguém. Só quero deixar claro aqui que ela tem limitações, principalmente em relação ao currículo e ao fato de ser um investimento alto de dinheiro e de tempo, em troca do qual os alunos esperam receber toda a capacitação necessária para se tornarem profissionais. Isso, infelizmente, não acontece na maioria dos casos.

Mas para olharmos um pouco mais para o lado bom, outro trunfo da faculdade e do ambiente acadêmico, sem dúvidas, é o contato com as pessoas.

Muitas vezes, você vai fazer disciplinas com alunos que vêm de outros cursos e esse ambiente multicultural é riquíssimo para que você faça networking e conheça pessoas que possam te ajudar em outros negócios e projetos futuros. Então, talvez isso compense para alguns alunos.

Vantagens da faculdade de fotografia

Apesar das limitações curriculares e do alto investimento necessário, a faculdade de fotografia oferece diversas vantagens para quem opta em cursá–la. Vejamos algumas:

Sólida formação

A universidade te dá uma visão ampla das possibilidades de atuação no mercado fotográfico. O estudante, por exemplo, poderá ter contato com gestão de negócios para o setor, fotografia temática e criação de produtos digitais. Além disso, propicia o desenvolvimento do pensamento crítico do fotógrafo.

Dessa forma, a faculdade tem por objetivo capacitar o aluno para entender os aspectos técnicos da profissão, fomentar a inovação, a criatividade e o olhar fotográfico, dominar diferentes ferramentas e a utilização dos variados equipamentos fotográficos existentes.

Mídias

A fotografia pode ser aplicada em diferentes campos: jornalismo, publicidade e propaganda, cinema, marketing, eventos, dentre outras possibilidades. Cada um desses campos exigem técnicas específicas e conhecimentos próprios e a faculdade oferece uma visão mais abrangente deles.

Para isso, ela oferta aulas e cursos para as diferentes mídias que existem hoje em dia. Além desse conhecimento específico, a universidade também trabalha a convergência de mídia e como o trabalho em diferentes campos podem ser aplicado em uma determinada área ou integrar várias delas, o que confere maior versatilidade ao profissional.

Certificação ao longo do curso

Uma das vantagens competitivas de se fazer um curso superior em fotografia é obter certificações antes mesmo de concluir os estudos. Isso abre um leque de opções para aqueles estudantes e profissionais que buscam mais oportunidades no mercado de trabalho ou se destacar frente a outros fotógrafos.

Isso acontece porque o aluno tem contato com diferentes áreas da fotografia e acesso a outros materiais de ensino. Além de fortalecer o currículo, esse processo também ajuda a definir em qual área pretende seguir profissionalmente e a desenvolver uma visão mais ampla sobre a atuação como fotógrafo.

Desvantagens da faculdade de fotografia

Para dar uma visão ainda mais abrangente sobre a necessidade ou não de um curso superior para fotógrafos também elencamos algumas das principais desvantagens da faculdade. Confira!

Custo elevado

A fotografia por si só tem um custo elevado. Corpo para máquinas fotográficas, diversas lentes, baterias extras, cartão de memórias, equipamentos auxiliares, bolsas para transporte, dentre outros, possuem um custo bastante elevado e exige um certo investimento para que o fotógrafo possa trabalhar.

Inserir um curso superior a essa somatória aumenta consideravelmente os custos para a formação do profissional. É possível reunir conhecimento e se capacitar como fotógrafo a partir de cursos mais baratos – como os livres e os técnicos – ou por meio de estudos autônomos (o que é um pouco mais complicado).

Demora para ingressar no mercado de trabalho

Apesar das qualificações oferecidas por uma faculdade, os benefícios desse tempo de estudo podem só vir após a conclusão dos estudos. Ou seja, muitos profissionais só conseguiram chegar ao mercado de trabalho depois de até quatro anos frequentando uma universidade, o que pode representar um atraso diante de outros profissionais.

Isso porque diversos fotógrafos chegam ao mercado de trabalho após passarem por processos de capacitação mais rápidos. Nesse caso, é preciso avaliar as suas prioridades: desenvolver uma base teórica e prática mais ampla ou se lançar no mercado com mais rapidez.

Por fim, vale a pena fazer faculdade de fotografia? A minha resposta é: depende da sua intenção, pois talvez os cursos técnicos e os cursos livres sejam mais interessantes para quem busca se estabelecer rapidamente como profissional no mercado fotográfico, mas a faculdade também pode ser bacana para quem tem outros objetivos.

Gostou deste artigo sobre a importância de uma faculdade de fotografia? Então siga a nossa página no Facebook e tenha acesso a outros conteúdos relevantes.

Assine: iTunes | Android | RSS

Compartilhe isso:

Envie o seu comentário

Comentários (5)

  • Renato

    24 janeiro 2019 às 15:22

    Obrigado pelo post.

    Responder

  • Felipe

    25 junho 2018 às 13:51

    Que video otimo é bem explicativo!
    uma duvida, vc conhece o curso tecnologo de fotografia da Cruzeiro do Sul?
    se sim, qual sua opnião?

    Responder

    • Equipe Fotologia

      17 julho 2018 às 11:10

      hmm, sabe que a gente não tem relato sobre o curso.

      Será que alguém aqui dos comentários já ouviu falar sobre?

  • Ana Carla

    21 janeiro 2018 às 17:38

    Caramba,me ajudou muito,eu estou nessa fase de descobrimento kk ,saí do ensino médio a um ano e sempre quis ser fotógrafa,e ser fotógrafa é caro kk mas eu sempre quis fazer faculdade ,então,esse artigo me ajudou a definir minha prioridade ❤❤❤❤ obrigada .

    Responder

    • Fotologia Podcast

      24 janeiro 2018 às 13:43

      Oi Ana, muito obrigado, pela sua participação, estou muito feliz, em saber que os conteúdos te ajudaram, valeu um grande, abraço!!!!!!!

      2018-01-21 17:38 GMT-02:00 Disqus :

Últimos Podcasts