DEU RUIM - Nossas histórias BIZARRAS em eventos (e o que você pode aprender com isso)

Você tem histórias bizarras em eventos? Nós temos e muitas!

As histórias bizarras em eventos do:

Eduardo

Nos meu começo da minha carreira, por volta dos 2 anos, eu coloquei fogo no vestido de uma debutante antes da festa! Obviamente não foi intencional, mas eu estava direcionando e aconteceu. Um dos motivos foi o que persegue quase todos os fotógrafos iniciantes: o nervosismo! Muitas coisas são simples, mas o fotógrafo iniciante sempre quer inventar muita algo acaba fazendo porcaria nenhuma ou estragando. No dia, tudo acabou dando certo porque conseguiram uma costureira que fez mágica e acho que o resultado do vestido ficou até melhor rsrs.

Lute para perder o nervosismo porque o cliente sempre percebe. Tente simplificar as coisas e se concentrar mais no necessárioluz, composição, fundo e fim. Não invente muita moda até pegar o jeito. Vá fazendo as coisas devagar até ir pegando o jeito.

Gustavo

Eu fui fotografar um casamento para o Eduardo em outra cidade com a minha 20D e todo o meu equipamento. Eu estava extremamente feliz naquele dia! Após a entrada do noivo, o cartão encheu e eu fui trocar. Troquei e testei o segundo cartão várias vezes e simplesmente não funcionava, ele tinha pifado! Já com muita adrenalina fui procurar meu estojo de cartões e, depois de muito procurar, não encontrei. O estojo de cartões tinha ficado em Caxias do Sul! Depois da entrada do noivo eu não tinha mais cartão de memória para fotografar, dá pra acreditar?

Então, desde o início da minha carreira eu aprendi a trabalhar muito bem com a fotometria das imagens porque meu irmão e o meu pai eram muitos exigentes. Para solucionar isso, eu peguei o cartão de apenas 16GB que estava na câmera do meu pai e coloquei os arquivos em JPEG, já que eu sabia fotometrar, conhecia a Igreja e a iluminação estava boa. Nesse momento, eu entreguei meu celular para que o meu primo (assistente de luz) conseguisse ajuda com um fotógrafo conhecido da cidade, mas ele não tinha cartões para emprestar. Daí, eu fiz todo o casamento em JPEG e com um cartão de 16GB enquanto meu pai ia em Caxias do Sul pegar o estojo que eu tinha esquecido. No final da cerimônia, meu pai chegou e deu tudo certo.

Esse dia mudou muita coisa e espero que você tire algumas lições pela minha história, sem precisar passar pelo o que eu passei.

Lições:

  • Checklist na organização do equipamento (confira cada item sempre!);
  • Domine o equipamento e a fotometria (não dependa do raw para recuperar depois porque não domina).

Gobatto

Muita gente não sabe, mas eu já trabalhei muito na área de eventos. Eu já passei por vários perrengues como videomaker e um deles foi numa formatura logo quando comecei a trabalhar. A câmera que eu estava cuidando não era a principal, mas eu dei o meu melhor enquadrando e tentando fazer com que aquilo ficasse incrível. Entretanto, quando chegou no final, a realidade foi que eu tinha gravado nada! Eu tinha dado um REC invertido! Para quem não sabe, eu achava que não tinha dado REC e ao apertar novamente o botão simplesmente parei a gravação. Felizmente, eles tinham backup dessa câmera porque estava sendo transmitido para o telão.

A minha lição para quem trabalha com eventos é: sempre tenha backup! Pense sempre no que você pode fazer caso alguma coisa dê merda. Afinal, é muita fácil alguma coisa falhar durante um evento.

_______________________

Se você curtiu essa discussão e quer aprender mais sobre fotografia, nos acompanhe nas redes sociais e navegue no nosso site. Esse é o melhor podcast para fotógrafos e com conteúdo inteiramente gratuito para você!

Facebook | Instagram | Twitter

vídeo sobre o assunto:

//www.fotologia.net" frameborder="0" allow="accelerometer; autoplay; encrypted-media; gyroscope; picture-in-picture" allowfullscreen>

Assine: iTunes | Android | RSS

Compartilhe isso:

Envie o seu comentário

Últimos Podcasts