Viver de foto - Como eu virei fotógrafo - Gustavo Vanassi

Vamos falar sobre a TAG VIVER DE FOTO e descobrir como o Gustavo começou na fotografia e a ganhar dinheiro com isso!

TAG VIVER DE FOTO

1 – Eu comecei a fotografar quando…

O Gustavo não queria fotografar. Toda a família dele fotografava (pai, mãe, irmão, irmã…) e ele não queria se meter nisso. Desde pequeno, estava dentro do negócio da família, ajudando no balcão e etc. Mas fotografar era algo que não chamava atenção. Até por que, na época, as fotografias eram muito quadradinhas – tanto no estúdio, como nos casamentos.

Então, ele foi fazer faculdade de publicidade e propaganda já imaginando um bocado de coisas criativas, desenvolvendo projetos e etc. Mas ele acabou encontrando as cadeiras de fotografia na faculdade. E, nas conversas de conceito, ele descobriu a ideia de contar uma história inteira em um único click e começou a achar isso muito divertido, até mais que a parte de cuidar de uma agência.

Depois, ao conversar com a família, o Gustavo recebeu total apoio. A família o incentivou a correr atrás disso e a inserir suas ideias na fotografia de casamento. Foi assim que ele se apaixonou pela foto e pela fotografia de casamento e, logo depois, assumiu o estúdio da família.

2 – Eu comecei a ganhar dinheiro com fotografia quando…

No estúdio

Ao crescer numa empresa de fotografia, desde cedo o Gustavo entendia a cabeça do consumidor e como funcionava o comércio de um serviço. No começo, ele tentava apenas diminuir o custo dos serviços. Mas isso aumentava a demanda com pouco lucro. Com o tempo, o Gustavo começou a focar na palavra benefício, não só no custo. A partir daí, ele começou a ganhar dinheiro, criando estratégias para todas as classes sociais, principalmente para a classe C.

O valor entregue era no conforto, nos prazos certos, no atendimento especial e por aí vai! Ao proporcionar essa boa experiência ao cliente, foi possível aumentar o custo e subir o preço. Mesmo sendo uma das empresas com o preço mais premium da região, a classe C continuou consumindo os serviços pela qualidade do que era entregue.

No casamento

Depois, o Gustavo levou essa mesma ideia do valor para a área do casamento. Então, para manter a qualidade, ele já sabia que precisaria chegar no mercado cobrando o ideal pelo serviço. Com isso, ele manteve investindo em coisas que não tem preço – relacionamento, confiança, tratamento e etc.

Então, o Gustavo é apaixonado pela fotografia! Dá uma olhada no vídeo que está logo ali mais para baixo e veja ele mesmo contando como consegue viver de foto!

_______________________

Se você curtiu essa discussão e quer aprender mais sobre fotografia, nos acompanhe nas redes sociais e acesse ao fotologia.net, o melhor podcast para fotógrafos com conteúdo inteiramente gratuito para você!

fb.com/fotologiacast
Twitter.com/fotologiacast
fotologia.net

Assine: iTunes | Android | RSS

Compartilhe isso:

Envie o seu comentário

Últimos Podcasts